segunda-feira, 24 de outubro de 2011

St Amaro de Oeiras - "O Nascer de Um Novo Dia" ou "O Renascer do Dia" - I





Leve, breve, suave,
Um canto de ave
Sobe no ar com que principia
O dia,
Escuto, e passou...
Parece que foi só porque escutei
Que parou.


Nunca, nunca, em nada
Raie a madrugada,
Ou 'splenda o dia, ou doire no declive
Tive
Prazer a durar
Mais do que nada , a perda, antes de eu o ir
Gozar

***
                             Fernando Pessoa

4 comentários:

  1. Fernando Pessoa, palavra, por-do-sol, imagem, eternidade...

    Parabéns pelas fotos António.
    abraço
    oa.s

    ResponderEliminar
  2. Pessoa, dispensa qualquer comentário.
    As fotos, as fotos, nos dizem o quanto a natureza é soberana.
    A sequência por ti apresentada é praticamente uma história de um dia que se vai, na leveza das gaivotas e na vida que corre, tranquila nesse navio sobre as águas.

    ResponderEliminar
  3. Cito o comentário acima, os teus trabalhos tornam-se histórias pra quem os vê :) Muito bom!

    ResponderEliminar
  4. Una delicia de fotografía, con su misterio y silencio juntos. Hasta aquí llegan, después, las palabras de Pessoa.

    Fraternal abrazo desde Colombia,

    Guillermo

    ResponderEliminar